Posts com a Tag ‘energia’

Asas abertas à energia

segunda-feira, 16 de abril de 2012

As asas das borboletas não são apenas bonitas: elas também são coletoras de energia solar. A capacidade de manipular e coletar a luz são importantes para o desempenho de dispositivos de energia solar, diz o estudo da Universidade de Shanghai Jiao Tong, na China, que está liderando a iniciativa. Os cientistas relataram as descobertas no fim do mês de março.

 Eles usaram um microscópio eletrônico para estudar a estrutura das asas de duas espécies de borboletas pretas. Eles escolheram as asas pretas porque elas absorvem o máximo de energia solar.

O experimento mostra que as asas são compostas de escamas compridas e retangulares, que estão sobrepostas de maneira semelhante a telhas em um telhado. As escamas das duas espécies também possuíam sulcos pronunciados, com pequenos orifícios dos dois lados conduzindo até a camada seguinte.

Essa estrutura direciona a luz para a próxima camada, o que contribui para a captura de uma grande quantidade de calor. Os pesquisadores também criaram um modelo para usar a energia solar da mesma forma que as asas das borboletas.

Fonte: Revista Info Abril 

Edição: Rodrigo Nascimento
rodrigon@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Economia de energia

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

 O horário de verão, que começa domingo e vai até 26 de fevereiro do próximo ano, vai trazer uma economia para o país que pode variar entre R$ 75 milhões e R$ 100 milhões. A estimativa, divulgada hoje, é do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O horário de verão 2011/2012 terá 133 dias de duração e é o mais longo desde 1985, segundo o ONS. Ele ocorrerá em três regiões brasileiras: Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Considerando-se todos os estados atingidos pela medida, a diminuição da demanda estimada será de 4,6%, ou o equivalente a 2.650 megawatts (MW). A maior redução de energia elétrica (4,9%) deverá ocorrer na Região Sul, correspondendo a 600 MW. Isso significa, segundo o ONS, 75% da demanda de Curitiba (PR) ou três vezes a de Florianópolis (SC). Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste juntas, a diminuição projetada do consumo é 4,6% e corresponde a 2.050 MW, ou duas vezes a demanda de Belo Horizonte e duas vezes e meia a de Brasília. Fonte: Agência Brasil

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Ar, clima e energia

quinta-feira, 30 de junho de 2011

A secretária estadual do Meio Ambiente, Jussara Cony, detalhou esta semana as 54 recomendações do Plano Ar, Clima e Energia (Pace) para aprimoramento no Rio Grande do Sul. As propostas foram concebidas sob sete setoriais – transportes de cargas, transporte de pessoas, energia, atividade econômica, agropecuária, floresta e biodiversidade e resíduos e saneamento – dentro de quatro áreas estruturantes: conhecimento, comunicação, monitoramento e coordenação. A secretária falou da importância do Pace, que fortalecerá a integração preventiva de assuntos ambientais no planejamento do Estado. Dentre as recomendações, ela destacou a criação de um comitê técnico integrado de ar, clima e energia, dentro do Fórum Gaúcho de Mudanças Climáticas, responsável pela implementação e pelo seguimento das recomendações do Pace. Citou também o Plano Estadual de Desenvolvimento de Energias Renováveis, para o planejamento dessas fontes alternativas e valorização dos potenciais regionais do RS, e defendeu a elaboração de um Plano Estadual de Eficiência Energética. Fonte: Agência de Notícias

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Primeira escola ecológica do país

domingo, 22 de maio de 2011

Iniciativa é do governo do Estado do Rio e de uma siderúrgica/divulgação

A primeira escola ecológica do país foi inaugurada sexta-feira em um dos bairros mais carentes do Rio de Janeiro, Santa Cruz, zona oeste da cidade. O Colégio Estadual Erich Walter Heine tem instalações que captam a água da chuva para ser usada nos sanitários, jardins e na limpeza da escola, com economia de 50% da água potável. As lâmpadas LED em todo o edifício reduzem em até 80% o consumo de energia. O formato de cata-vento da construção e o telhado verde reduzem a temperatura, em uma região em que ela ultrapassa 40 graus no verão. A escola está entre as 121 instituições no mundo com certificação Leed Schools (de liderança em energia e design ambiental) e é a primeira escola de Ensino Médio profissionalizante da região, que tem um dos menores índices de desenvolvimento humano do município. A iniciativa faz parte de um convênio entre o governo do Estado e a empresa Thyssenkrupp CSA. O investimento de R$ 11 milhões foi arcado integralmente pela siderúrgica, a maior da América Latina. O diretor de Sustentabilidade da empresa, Luiz Cláudio Castro, explicou que a construção da escola estava prevista no projeto de compensação por liberação de carbono, e que a ideia de uma construção sustentável surgiu para contribuir para reduzir os gases de efeito estufa. Fonte: Agência Brasil

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Residência sustentável em Nova Bréscia

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Estudantes envolveram-se no projeto ecológico

Os alunos da 3ª D da Escola Estadual de Ensino Médio Nova Bréscia, com a professora de Matemática e Física, Andréia, também contribuíram para as Olimpíadas Ambientais do jornal O Informativo, com o projeto de casas sustentáveis. O objetivo é mostrar através de maquetes e plantas baixas como é possível desenvolver projetos de construção de residências de maneira sustentável usando material ecologicamente correto. Primeiramente os alunos montaram o projeto da casa no papel usando escalas, área, perímetro, sistema de medidas, figuras e formas geométricas, volume, ângulos, fontes alternativas de energia, sustentabilidade, noções de arquitetura e engenharia e após partiram para a confecção das maquetes com paredes de vidro para melhor aproveitamento da energia solar, cisternas para captação da água da chuva, placas solares para aquecimento de água utilizando a energia do sol, aerogeradores para melhor aproveitar a energia dos ventos e telhado de grama para amenizar as temperaturas tanto altas como baixas. Usando criatividade, cada grupo montou sua casa de maneira diferente dando ênfase a preservação, a reciclagem e a conscientização do uso racional de energia.

Bábila Sartori
E. E. Nova Bréscia

Atividades foram orientadas pela professora de física e matemática

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

A primeira do país

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A cidade paulista de São Bernardo do Campo terá a primeira usina de incineração de lixo doméstico do Brasil. Terá capacidade para receber mil toneladas de resíduos domésticos por dia. A energia gerada – 30 megawatts/hora – será suficiente para abastecer diariamente uma cidade de 300 mil habitantes. A obra inclui um setor de separação dos resíduos orgânicos e para reciclagem e está orçada em R$ 220 milhões. A novidade é o incinerador de lixo doméstico. Existem apenas usinas para incinerar lixo hospitalar e industrial no país.

Outros países
Áustria –
A usina de Viena é uma das mais modernas da Europa. Tem capacidade para queimar 720 toneladas/dia.
Alemanha – Há duas unidades em Ingolstadt, que processam 600 toneladas/dia cada.
Inglaterra – Em Marchwood, a usina local incinera 560 toneladas/dia.
França – Uma das maiores da Europa fica em Paris, com capacidade para 1,6 mil toneladas/dia.
Estados Unidos – A maior do país está em Miami e chega a 4,2 mil toneladas/dia.

Saiba mais
* 5 horas é o período em que um computador poderia funcionar com a queima de um quilo de lixo.
* 24 minutos duraria um secador de cabelo ligado, segundo Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Fonte: Agência Estado

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Lixo pode virar energia

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Rio Grande do Sul pode gerar energia a partir do lixo. O projeto com aproveitamento de resíduos sólidos,  proposto pela Creluz e os municípios das regiões da Produção e Celeiro do Estado, ganhou reforço esta semana. Com articulação do deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), o diretor de engenharia da Eletrosul, Ronaldo Custódio, recebeu uma comissão de lideranças gaúchas. Ele propôs a assinatura de um termo de cooperação entre a Eletrosul e os três consórcios intermunicipais de resíduos sólidos para realizar o estudo de viabilidade que apontará as soluções para a construção da usina termoelétrica que vai produzir energia através da queima do lixo dos municípios. Segundo ele, este estudo possibilitará estruturar o projeto e o modelo de negócio ideal para a construção da usina. “Isso será um avanço para nosso projeto, que servirá de exemplo para o Brasil onde ainda não temos geração de energia através da queima de lixo”, comemorou o presidente da Creluz, Elemar Battisti. A ideia é utilizar os 20% de resíduos do depósito intermunicipal localizado em Seberi que não são aproveitados na reciclagem ou produção de adubos.

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Usinas nucleares no Nordeste

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A audiência pública promovida pela Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados para discutir a instalação de usinas nucleares no Nordeste brasileiro deixou os ânimos dos representantes do governo e dos ambientalistas exaltados. O governo federal pretende instalar seis novas usinas nucleares na região. Os locais ainda não foram definidos, mas, segundo empresa vinculada ao Ministério de Minas e Energia, os estados com potencial são Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. O anúncio dos locais deve ocorrer até 2011.

O presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro, disse que a demanda por energia no Brasil tende a aumentar e que as novas usinas, apesar do alto investimento, tem custo energético baixo. “Para suprir a demanda nacional teríamos que disponibilizar três mil a quatro mil megawatts ao ano, isto significa uma nova Itaipu a cada três, quatro anos. Temos que contar com todas as fontes energéticas: a eólica, a biomassa e, é claro, a nuclear.”

O professor do Departamento de Engenharia Elétrica e presidente da comissão de Meio Ambiente da Universidade Federal de Pernambuco, Heitor Scalambrini, criticou a ausência da participação da sociedade na definição da construção de novas usinas nucleares no país. O assessor do Movimento Paulo Jackson da Bahia, Sérgio Dialetachi, lembrou as 6,5 mil pessoas contaminadas pelo Césio 137 em Goiânia, em 1987 e disse que não se pode esquecer que o Césio é produto da usina nuclear. O coordenador da Campanha Nuclear do Greenpeace Brasil, André Amaral, disse que a instalação de usinas nucleares é resquício do regime militar e que o Brasil não precisa desta tecnologia. Fonte: Agência Brasil

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Jovem Cientista

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Em sua 24ª edição, o prêmio Jovem Cientista está com inscrições abertas até 30 de junho. Serão reconhecidos trabalhos como o tema Energia e Meio Ambiente: Soluções para o Futuro. Cinco categorias serão premiadas: Graduado, Estudante de Ensino Superior, Estudante de Ensino Médio, Orientador e Mérito Institucional. Há ainda Menção Honrosa para um pesquisador que se destaque por sua trajetória na área relacionada ao tema do prêmio. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.jovemcientista.cnpq.br. Fonte: Agência Estado

 Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Uma ideia genial

quinta-feira, 4 de março de 2010

Trocar lixo por créditos de energia se transformou em uma fonte adicional de renda para famílias pobres do Ceará graças a um programa de reciclagem que também ajuda a preservar o meio ambiente e promove a inclusão social.

O programa Ecoelce, implantado em fevereiro de 2007 pela distribuidora de energia elétrica Coelce, do grupo espanhol Endesa, estimula seus clientes residenciais e empresariais a separar os resíduos sólidos e entregá-los em pontos de coleta onde são pesados e transformados em créditos em reais para o pagamento das contas de luz. Os benefícios se estendem a cooperativas de bairros pobres aos quais a empresa doa os resíduos para a fabricação de canos e vassouras, entre outros artigos.

Estão inscritos no programa 220 mil clientes. Foram recicladas 8,5 mil toneladas de resíduos e concedidos descontos nas contas de luz de quase R$ 1 milhão.  As empresas ou clientes de alta renda pagam normalmente suas contas de luz e doam os créditos obtidos com a reciclagem a sete instituições beneficentes previamente inscritas no Ecoelce.

As 2,35 toneladas de papel recicladas pelo programa evitaram o corte de 79 mil árvores e permitiram uma economia de 220 milhões de litros de água, por exemplo. A iniciativa recebeu nesta quarta-feira uma menção na seção espanhola do Prêmio Europeu do Meio Ambiente à Empresa 2009/2010 na categoria de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento Sustentável. Fonte: Agência Estado

Gigliola Casagrande
gigi@informativo.com.br

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +2 (from 2 votes)