Arquivo da Categoria ‘Notícias 2013’

Univates desenvolve estudos inovadores de combustível renovável

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013
A Univates está envolvida com um projeto inovador na área de energia renovável: a criação de um combustível alternativo e renovável que já está sendo testado em veículos. Em parceria com a Companhia de Gás do Estado (Sulgás), o novo combustível, chamado de GNVerde, foi gerado com experimentos utilizando biometano, e está sendo testado, desde o mês de agosto, em um veículo da Instituição. No mês de novembro, a fase de teste foi finalizada e o projeto foi oficializado.
Os experimentos buscam o desenvolvimento de um gás com alto teor de metano, que atenda a especificação técnica exigida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) – acima de 96%. O primeiro projeto que alcançou o teor exigido está sendo desenvolvido no município de Montenegro, pelo Consórcio Verde-Brasil, formado pelas empresas Ecocitrus e Naturaovos, em parceria com a Sulgás. O combustível gerado a partir de dejetos de aves poedeiras e de resíduos agroindustriais alcançou o índice de 98% de metano em sua composição química.
Por meio de estudos realizados no Laboratório de Biorreatores da Univates, a Instituição está atuando como suporte técnico no desenvolvimento do projeto de produção de biogás. São realizadas coletas semanais do material dos biodigestores para análises físico-químicas e ensaios de produção de biogás. Além disso, são realizadas também coletas do biogás para determinar o teor de metano presente, tanto dos biodigestores como dos processos de purificação. Essas coletas são feitas utilizando um veículo movido à GNVerde e abastecido na planta da empresa Ecocitrus.
O gás natural apresenta o que se chama de combustão limpa, ou seja, uma queima quase perfeita, com baixíssima emissão de poluentes, sendo um forte aliado na luta pela preservação do meio ambiente e pela melhoria na qualidade do ar das grandes cidades. Além disso, ele se adapta a diferentes processos produtivos, apresentando maior eficiência energética, uma vez que proporciona melhor distribuição do calor e regulagem da chama.
Para o coordenador do Laboratório de Biorreatores da Univates, professor Odorico Konrad, essa é uma maneira de mostrar que o biogás no Brasil pode ser uma fonte de energia com viés renovável. “As emissões são muito menores que a gasolina e outros combustíveis. Para ambientes urbanos, é muito melhor utilizar biometano do que outro combustível, então passa a ser também um caso de saúde pública, pela questão de diminuir a poluição”, ressalta ele.
Conforme Konrad, o GNVerde representa mais um combustível veicular de fonte renovável no Brasil. O experimento está sendo inovador e já conta com cerca de seis veículos movidos a GNVerde no Rio Grande do Sul. “O que está sendo visualizado agora é a utilização de biometano para geração de energia elétrica no câmpus”, completa o docente.

A Univates está envolvida com um projeto inovador na área de energia renovável: a criação de um combustível alternativo e renovável que já está sendo testado em veículos. Em parceria com a Companhia de Gás do Estado (Sulgás), o novo combustível, chamado de GNVerde, foi gerado com experimentos utilizando biometano, e está sendo testado, desde o mês de agosto, em um veículo da Instituição. No mês de novembro, a fase de teste foi finalizada e o projeto foi oficializado.
Os experimentos buscam o desenvolvimento de um gás com alto teor de metano, que atenda a especificação técnica exigida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) – acima de 96%. O primeiro projeto que alcançou o teor exigido está sendo desenvolvido no município de Montenegro, pelo Consórcio Verde-Brasil, formado pelas empresas Ecocitrus e Naturaovos, em parceria com a Sulgás. O combustível gerado a partir de dejetos de aves poedeiras e de resíduos agroindustriais alcançou o índice de 98% de metano em sua composição química.
Por meio de estudos realizados no Laboratório de Biorreatores da Univates, a Instituição está atuando como suporte técnico no desenvolvimento do projeto de produção de biogás. São realizadas coletas semanais do material dos biodigestores para análises físico-químicas e ensaios de produção de biogás. Além disso, são realizadas também coletas do biogás para determinar o teor de metano presente, tanto dos biodigestores como dos processos de purificação. Essas coletas são feitas utilizando um veículo movido à GNVerde e abastecido na planta da empresa Ecocitrus.
O gás natural apresenta o que se chama de combustão limpa, ou seja, uma queima quase perfeita, com baixíssima emissão de poluentes, sendo um forte aliado na luta pela preservação do meio ambiente e pela melhoria na qualidade do ar das grandes cidades. Além disso, ele se adapta a diferentes processos produtivos, apresentando maior eficiência energética, uma vez que proporciona melhor distribuição do calor e regulagem da chama.
Para o coordenador do Laboratório de Biorreatores da Univates, professor Odorico Konrad, essa é uma maneira de mostrar que o biogás no Brasil pode ser uma fonte de energia com viés renovável. “As emissões são muito menores que a gasolina e outros combustíveis. Para ambientes urbanos, é muito melhor utilizar biometano do que outro combustível, então passa a ser também um caso de saúde pública, pela questão de diminuir a poluição”, ressalta ele.
Conforme Konrad, o GNVerde representa mais um combustível veicular de fonte renovável no Brasil. O experimento está sendo inovador e já conta com cerca de seis veículos movidos a GNVerde no Rio Grande do Sul. “O que está sendo visualizado agora é a utilização de biometano para geração de energia elétrica no câmpus”, completa o docente.

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Economia de energia: Vida útil das lâmpadas

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A evolução caminha a passos largos e a tecnologia se torna obsoleta em tempo cada vez mais curto. Esse processo atinge também o segmento de iluminação: as lâmpadas vêm sendo substituídas em tempo recorde. Mas nem sempre foi assim.

A lâmpada incandescente criada em 1879 por Thomas Edson somente agora em 2016, no Brasil, será extinta. Nessa data completaria 137 anos de vida. “Seu fim decorre das necessidades dos tempos modernos, ou seja, eficiência energética e sustentabilidade aliadas ao conforto visual. A lâmpada incandescente, ao contrário dessas premissas, consome 95% de energia e gera apenas 5% de luz”, informa Gilberto Grosso, CEO da Avant, empresa fabricante de lâmpadas há 15 anos instalada no Brasil.

Sua morte, ainda que centenária, foi apressada pelo surgimento da lâmpada compacta fluorescente, também conhecida como econômica. Com 40 anos de existência, essa lâmpada consome apenas 15% de energia e gera 85% de luz. Um milagre para a sustentabilidade ambiental.

“Todavia, embora jovens, as compactas já estão ameaçadas por uma novata de apenas 20 anos de idade. Trata-se da tecnologia chamada LED – Light Emitting Diode ou Diodo Emissor de Luz. Surgiu comercialmente em 1993 e consome somente 10% de energia para 90% de luz que gera”, diz o executivo.

“O LED é tido como a tecnologia que dominará a iluminação doméstica, pública e industrial. Acredita-se que até 2020 cerca de 80% do mercado mundial será iluminado apenas com equipamentos e lâmpadas de LED”, conclui Grosso.

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Plano Nacional de Saneamento Básico é publicado no Diário Oficial

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Portaria interministerial publicada hoje (6) no Diário Oficial da União aprova o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), instituído pelo artigo 52 da Lei 11.445/2007. Segundo a portaria, o Plansab será revisado periodicamente, em um prazo não superior a quatro anos, e avaliado anualmente com base nos indicadores de monitoramento, de resultado e de impacto previstos no plano.

O Plansab com investimentos estimados de R$ 508 bilhões entre 2013 e 2033, prevê metas nacionais e regionalizadas de curto, médio e longo prazos, para a universalização dos serviços de saneamento básico. O plano nacional deve abranger o abastecimento de água, o esgotamento sanitário, o manejo de resíduos sólidos e de águas pluviais, além de tratar das ações da União relativas ao saneamento nas áreas indígenas, nas reservas extrativistas e nas comunidades quilombolas.

De acordo com o último Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (2011), 82% da população brasileira recebem água por meio de rede de abastecimento. Considerando apenas a população urbana, este índice sobe para 93%. O atendimento com rede coletora do esgoto chega a apenas 48% da população. O índice de tratamento do esgoto gerado no país é ainda pior: apenas 38% são tratados.

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Certel Energia reuniu empresas que neutralizam emissão de gases poluentes

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A gestão da emissão de gases de efeito estufa e a produção mais limpa foram o foco do 1º Seminário Energia Verde, promovido pela Certel Energia na manhã do dia 14 de novembro, no Grêmio Cultural e Recreativo Teutoniense, em Teutônia. Alusivo aos seis anos do programa Energia Verde em Harmonia Ambiental, que neutraliza os gases de efeito estufa de instituições privadas e públicas, por meio do plantio de árvores e do estímulo a uma postura ecológica responsável, o seminário contou com a participação de 42 das 64 empresas e entidades Carbono Neutro que participam do programa. Três destas empresas apresentaram-se em um painel, expondo os benefícios e a mudança comportamental que são reflexo do programa.

Tornocar

Para Rafael Versteg, da Tornocar Indústria e Comércio, de Teutônia, a adesão ao programa fez com que a empresa acendesse a luz de alerta para a necessidade de mudanças para diminuir o impacto das atividades industriais e administrativas no meio ambiente. “Implantamos diversas iniciativas e, ano a ano, principalmente após o levantamento e durante o preenchimento do questionário para o cálculo do volume de emissões de gases de efeito estufa, buscamos novas formas de diminuir a emissão de gases e melhorar a qualidade de vida dos colaboradores envolvidos”, afirmou.

Formallar

Jovane Krützmann, da Formallar Móveis, de Teutônia, disse que a utilização do Selo Carbono Neutro em todo material impresso, mídias e veículos da fábrica auxiliou na afirmação ambientalista e é ponto de referência em algumas negociações. “Despertou de forma clara e inegável que todos somos responsáveis pelo futuro do nosso planeta e da sobrevivência dos seres vivos e pela manutenção dos ecossistemas. Estendeu-se uma linha de compreensão em todas as etapas da produção, englobando clientes, arquitetos, produção, fornecedores e comunidade”, pontuou.

Grupo Krabbe

Conforme Julio Sulzbach, do Grupo Krabbe, de Westfália, a empresa busca amenizar os impactos ambientais que gera em decorrência de suas atividades, traçando caminhos que vão ao encontro da conservação ambiental. “Conscientes do nosso papel neste processo, assumimos como valores a prevenção da poluição, a salvaguarda dos recursos naturais e a promoção de comportamentos e atitudes éticas e socialmente responsáveis”, endossou.

Geração

O diretor de geração de energia elétrica da Certel, Julio Cesar Salecker, apresentou o case Energia Limpa. Enfatizou que a Certel Energia representa hoje aproximadamente 33% da região central do Vale do Taquari, com distribuição de 282,7 GWh. Deste montante, 41,8GWh são gerados pelas três hidrelétricas da Certel, representando 14,8%. Salecker sublinhou que as empresas do setor devem priorizar a geração limpa, como das hidrelétricas, e não termoelétricas. “Enquanto a emissão de gás carbônico das usinas termoelétricas é de mil toneladas por gigawatt/hora, a das pequenas centrais hidrelétricas é de 10 toneladas. Devemos priorizar a implantação de usinas geradoras de energia limpa e renovável, como a hidrelétrica, a biomassa, a eólica, a solar, a geotérmica, entre outras, e não as utilizadoras de recursos não-renováveis”, informou.

Produção limpa

A engenheira química do Centro Nacional de Tecnologias Limpas – CNTL – Senai/Unido/Unep, Rosele de Felippe Wittée Neetzow, proferiu palestra sobre “Produção mais limpa como ferramenta para a competitividade empresarial”. A Produção mais Limpa (PmaisL) visa à mudança de paradigmas, com redução do consumo de matéria-prima, água, energia e custos, com geração de benefícios ambientais, econômicos, qualitativos, de saúde e segurança. “É uma ferramenta de redução de custos para gestão estratégica da empresa que utiliza critérios econômicos, técnicos e ambientais. É uma ferramenta de competitividade”, assinalou.

Gestão sustentável

Em sua palestra, o presidente da Certel e da Certel Energia, Egon Édio Hoerlle, abordou sobre a gestão sustentável das empresas. Destacou que sustentabilidade é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades atuais da população, sem comprometer a capacidade das futuras gerações. “A gestão sustentável concilia o desenvolvimento econômico com as preocupações de setores interessados na conservação do ecossistema e da biodiversidade. Com o passar do tempo, deve alcançar os níveis de importância dos demais conceitos corporativos, passando a ter prioridade por todos os setores em todos os níveis hierárquicos das empresas”, enalteceu.

Carbono neutro

Paralelamente ao seminário, houve a entrega do Selo Carbono Neutro a dez empresas – sete que renovaram a parceria, e três que aderiram ao programa Energia Verde em Harmonia Ambiental.

Entre as que renovaram a parceria, estiveram a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC Teutônia); Fundação Agrícola Teutônia; Gráfica Dallas; Poolseg Corretora de Seguros; Sicredi Ouro Branco; Loja Virtual da Certel; e Certel Artefatos de Cimento.

Já as que ingressaram, são o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Vales do Taquari e Rio Pardo), a Altmann Contabilidade Ltda. e a American Nutrients do Brasil Indústria e Comércio.

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: 0 (from 0 votes)

Entrega de prêmios do Meio Ambiente na Escola

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Vencedoras

Nesta segunda-feira, ocorreu a primeira entrega de prêmios do Concurso de Reportagens do Meio Ambiente na Escola.  As vencedoras foram Silvia Luisa Vian (17) e Jéssica Zambiasi (17), de Nova Bréscia. Elas são as autoras da melhor reportagem entre as instituições de ensino de 27 municípios.

Na terça-feira, ocorre outra premiação em Estrela.

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +2 (from 2 votes)

Cometa Ison atinge ponto máximo de aproximação do Sol

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O cometa Ison poderá brilhar tão intensamente quanto a Lua Cheia quando passar no ponto mais próximo ao Sol de sua trajetória

Os astrônomos esperam ansiosos pelo acontecimento celeste do ano: nesta quinta-feira, às 16h40 (horário de Brasília), o cometa Ison atinge o periélio, o ponto de sua trajetória mais próximo do Sol, a apenas 1,2 milhão de quilômetros. Essa distância é 125 vezes menor do que a entre a Terra e o astro.

O cometa terá que resistir a uma temperatura de quase 3 mil graus centígrados. Embora ele se desloque a uma velocidade de mais de 1 milhão de quilômetros por hora, no espaço reina o vácuo, portanto não haverá nenhum vento para refrescá-lo.

saiba mais
Telescópio registra aumento de brilho do “cometa do século”
Nasa registra viagem de “cometa do século” em direção ao Sol
vc repórter: apaixonado por astronomia, carioca fotografa cometa no MT
Nas horas antes e depois dessa passagem próxima, o Ison reluzirá tão forte que, mesmo no azul do céu diurno, ele poderá ser visto bem ao lado do Sol. Seja como for, alguns satélites que monitoram as imediações do centro do sistema solar estão de olho no Ison.

Segundo uma antiga norma entre astrônomos, os novos cometas recebem o nome de seus descobridores. Assim, “Ison” é acrônimo de International Scientific Optical Network, a rede internacional de telescópios a partir de cuja estação em Kislovodsk, Rússia, ele foi avistado, em setembro de 2012.

Fonte: Terra Notícias

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Descoberta e ilha no Oceano Pacífico

quinta-feira, 28 de novembro de 2013
Descoberta de Ilha no Oceano Pacífico

A ilha ainda não foi batizada

Nascimento de uma ilha. Uma nova ilhota foi descoberta no dia 20 de novembro de 2013, no Oceano Pacífico, mil quilômetros ao sul de Tóquio. A lava constatada na última segunda-feira aumenta a probabilidade que esta nova ilha permaneça na superfície. Nascida de uma irrupção sub-marítima, ela tem mais de 400 metros de largura. No momento, ela ainda não foi batizada. O governo japonês decidiu esperar para ver se ela permanecerá na superfície.

Foto: Japan Coast Guarda – Afp

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Canil da Prefeitura de Lajeado está superlotado

quarta-feira, 27 de novembro de 2013
Superlotação em canil da prefeitura de Lajeado

Animais estão disponíveis para adoção

Desde janeiro de 2013 o Centro de Controle de Zoonoses e Vetores (CCZV) já recolheu 218 cães. O final do ano ainda não chegou, e o número já é bastante superior ao dado registrado em 2012, quando 157 cães foram retirados das ruas de Lajeado. Deste total, 120 foram adotados e outros não resistiram e vieram a óbito. Hoje, o canil que tem capacidade para atender, no máximo, 28 cães, já que possui 14 baias, mas está com o dobro de animais.

Leia a reportagem completa neste link

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Ministra anuncia ações contra o desmatamento ilegal na Amazônia

quarta-feira, 27 de novembro de 2013
Ministra do Meio Ambiente

Ministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira

A ministra do Meio Ambiente (MMA), Izabella Teixeira, disse hoje (27) que o governo vai intensificar as ações de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia, que teve um aumento de 28% este ano. Segundo ela, em 2014, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) vai usar imagens de satélites que vão enxergar desmatamentos de até três hectares, o equivalente a três campos de futebol. Atualmente, o Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real (Deter) detecta devastações acima de 25 hectares.

A ministra também adiantou que o Inpe vai usar novas tecnologias por radar que “enxergam por meio das nuvens e abaixo do dossel das árvores”. “Vamos pegar o desmatamento da exploração seletiva das árvores”, disse Izabella, durante a abertura da 112ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Atualmente, o monitoramento por imagens de satélite do desmatamento e da degradação da Floresta Amazônica é dificultado pela cobertura de nuvens e o corte seletivo de madeira é de difícil detecção.

Para intensificar o trabalho de fiscalização, a ministra informou que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) está estudando o uso de drones (aviões não tripulados) para acabar com o crime ambiental na Amazônia.

Em defesa da Amazônia

Greenpeace encabeça campanha de desmatamento zero. Saiba Mais

VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)

Parceira do Meio Ambiente na Escola, AES Sul promove a sustentabilidade

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A AES Sul vem promovendo uma grande transformação em sua área de concessão, investindo em relevantes projetos de sustentabilidade, focados em educação e uso consciente da energia elétrica. Entre os principais estão o AES Sul na Comunidade, o Recicle Mais, Pague Menos, Projeto Transformando Consumidores em Clientes, Restauração de Prédios Históricos e Casa de Cultura e Cidadania.

Saiba mais:

AES Sul na Comunidade: leva para escolas e estudantes, através de atividades lúdicas e participativas, informações como destinação correta do lixo, uso racional da água e da energia elétrica.

  • Recicle Mais, Pague Menos: recebe resíduos domésticos residenciais que possam ser reciclados (papel, metal, vidro e plástico), em troca de créditos na conta de energia elétrica. Até setembro último 15 clientes zeraram a conta graças ao projeto.
  • Transformando Consumidores em Clientes: projeto de regularização das ligações clandestinas, com fornecimento do kit de entrada da energia na residência, lâmpadas, troca de geladeiras antigas por novas, instalação de coletores solares para aquecimento da água do banho e de chuveiros eletrônicos. Mais de 250 mil pessoas já foram beneficiadas pelo projeto que já investiu mais de R$ 20 milhões. No ciclo 2013-2018 serão investidos mais R$ 18 milhões.
  • Histórico e cultural: restauração da Casa Museu João Goulart, em São Borja, com 2,2 milhões, e da Casa Getúlio Vargas, também em São Borja com 2,3 milhões.
  • Casa de Cultura e Cidadania de Novo Hamburgo: atendimento a crianças e adolescentes de 6 a 17 anos, os quais participam de atividades culturais, com linguagem circense. Está localizada no bairro Canudos, em Novo Hamburgo, e representa um investimento de R$ 1,4 milhão da AES Sul.
VN:F [1.9.1_1087]
Avalie este post:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)
VN:F [1.9.1_1087]
Rating: +1 (from 1 vote)